quinta-feira, 30 de março de 2017

Conto:O coelhinho que não era de Páscoa



O coelhinho que não era de Páscoa
Ruth Rocha


Vivinho era um coelhinho. Branco, redondo, fofinho.
Todos os dias Vivinho ia à escola com seus irmãos.
Aprendia a pular, aprendia a correr...
Aprendia qual a melhor couve para se comer.

Os coelhinhos foram crescendo,

chegou a hora de escolherem uma profissão.

Os irmãos de vivinho já tinham resolvido:
- Eu vou ser coelho de Páscoa como meu pai.
- Eu vou ser coelho de Páscoa, como o meu avô.
- Eu vou ser coelho de Páscoa como meu bisavô.
E todos queriam ser coelhos de Páscoa,

como o trisavô, o tataravô, como todos os avôs.
Só Vivinho não dizia nada.

Os pais perguntavam, os irmãos indagavam:
- E você Vivinho, e você?
- Bom – dizia Vivinho – eu não sei o que quero ser.
Mas sei o que não quero: Ser coelho de Páscoa.

O pai de Vivinho se espantou, a mãe se escandalizou e desmaiou:
- OOOOOHHHHH!!!

Vivinho arranjou uma porção de amigos:
O beija-flor Florindo, Julieta a borboleta, e a abelha Melinda.

- Onde é que já se viu coelho brincar com abelha?
- Os irmãos de Vivinho diziam.
Os pais de Vivinho se aborreciam:
- Um coelho tem que ter uma profissão.
Onde é que nós vamos parar com essa vadiação?

- Não se preocupem – Vivinho dizia

– estou aprendendo uma ótima profissão.
- Só se ele está aprendendo a voar – os pais de Vivinho diziam.
- Só se ele está aprendendo a zumbir – os irmãos de Vivinho caçoavam.

Vivinho sorria e saía, pula, pulando

para se encontrar com seus amigos.
O tempo passou. A Páscoa estava chegando.
Papai e Mamãe Coelho foram comprar os ovos para distribuir.
Mas as fábricas tinham muitas encomendas.

Não tinham mais ovinhos para vender.

Em todo lugar a resposta era a mesma:
- Tudo vendido. Não temos mais nada...
O casal Coelho foi a tudo que foi fabrica da floresta.
Do seu Antão, do seu João, do seu Simão, do seu Veloso, do seu Matoso,
do seu Cardoso, do seu Tônio, do seu Petrônio, seu Sinfrônio.
Mas a resposta era sempre a mesma:
- Tudo vendido seu Coelho, tudo vendido...

Os dois voltaram pra casa desanimados.
- Ora essa. Isso nunca aconteceu...
- Não podemos despontar as crianças...
- Mas nós já fomos a todas as fábricas. Não tem jeito, não...

Os irmãos do coelhinho estavam tristes:
- Nossa primeira distribuição... Ai que tristeza no coração!...

Vivinho vinha chegando com Melinda.
- Por que não fazemos os ovos nós mesmos?
- É que nós não sabemos.

Coelho de Páscoa sabe distribuir ovos. Não sabe fazer!

- Pois eu sei – disse Vivinho- Eu sei.
- Será que ele sabe? – disse o Pai?
- Ele disse que sabe – disseram os irmãos.
- Ele sabe, ele sabe – disse a mãe.
- E como você aprendeu? – perguntaram todos.
- Com meus amigos. Eu não disse que estava aprendendo uma profissão?
Pois eu aprendi a tirar o pólen das flores com Julieta e Florindo.
E Melinda é a maior doceira do mundo. Me ensinou a fazer tudo o que é doce...

A casa da família Coelho virou uma verdadeira fábrica.
Todos ajudavam: Papai Coelho, Mamãe Coelha e os coelhinhos...
e os amiguinhos também:florindo o beija-flor, a borboleta Julieta e

a abelha Melinda, a maior doceira do mundo.
E era Vivinho quem comandava o trabalho.
E quando a Páscoa chegou, estavam todos preparados.
As cestas de ovos estavam prontas.

E os pais de Vivinho estavam contentes.
A mãe de vivinho disse:
- Agora, nosso filho tem uma profissão.
E o pai de Vivinho falou:
- Cada deve seguir a sua vocação...

Contos : O segredo dos ovos de Páscoa


O SEGREDO DOS OVOS DE PÁSCOA
 História: Sonia Robatto
Tem muita gente que nasce de um ovo, não tem?
 Tem ovo com vida de passarinho dentro, ovo com vida de pintinho, ovo com vida de lagartixa, ovo com vida de cobra... Tem ovo de todo tamanho e vida de todos os jeitos.
 Mas o que será que nasce de um ovo de Páscoa? Isso eu são sabia e fui perguntar à dona Galinha.
 - Ó dona Galinha, a senhora que é especialista em ovo me diga uma coisa: o que é que nasce de um ovo de Páscoa?
Dona Galinha, muito despeitada com a concorrência das coelhinhas, cacarejou:
- Não nasce nada, minha filha! É ovo gorado, ovo falso, falsificado! Maluquice dessas coelhinhas de hoje em dia. Eu nunca ouvi dizer que uma coelha soubesse pôr ovos, chocar e tudo! Ovo que se preze tem pintinho dentro!
 O galo apareceu e eu saí depressinha do terreiro. Fui andando por ali e por aqui, até que encontrei numa árvore a dona Coruja. Repeti a minha pergunta:
- Ó dona Coruja, a senhora me diga, por favor: o que é que nasce de um ovo de Páscoa?
Dona Coruja deu uma risadinha superior, esbugalhou bem os olhos e falou:
- É claro que nascem corujinhas, como todo mundo sabe, são os animais mais bonitos do mundo! Os meus filhos são muito inteligentes, muito...
Deixei dona Coruja se elogiando sozinha e fui em frente, no meu caminho. E no meu caminho tinha uma cobra. Eu fui logo perguntando:
 - Ó dona Cobra, me diga, se possível for: o que é que nasce de um ovo de Páscoa?
  E a cobra sibilou uma resposta muito apressada:
 - Cobrinhas, ora...
 Até que nasceu na minha cabeça a idéia de procurar a dona Coelha. Afinal, ela devia saber tudo sobre ovos de Páscoa.
Fui andando por aqui e por ali, até que encontrei a sua casinha. A casa de dona Coelha mais parecia um formigueiro! Tinha coelhinhos de todos os tamanhos, cores e idades. Todos fazendo ovos de Páscoa.
Dona Coelha mexia um tacho num fogão de lenha, cantando uma musiquinha, e os coelhos repetiam o refrão. Pedindo licença, fui passando no meio dos coelhinhos até que cheguei perto de dona Coelha e fui logo falando de minha dúvida:
 - Desculpe, dona Coelha, eu andei por aí perguntando o que nasce de um ovo de Páscoa, e ninguém soube me responder direito até agora. Dona Galinha disse que não nascia nada. Dona Coruja disse que nasciam corujinhas. Dona Cobra, cobrinhas. Eu não estou entendendo mais nada. Nunca ouvi dizer que tivesse cobras dentro de um ovo de Páscoa! Elas estão brincando comigo, não estão?
 Dona Coelha sorriu:
- Cada pessoa põe no seu ovo de Páscoa um pouquinho da sua vida. O ovo de coruja, vira coruja. Ovo de cobra vira cobra, ovo de lagartixa vira lagartixa... É preciso tomar muito cuidado com o que se põe dentro dos ovos de Páscoa.
Eu continuava sem entender nada, mas dona Coelha continuou explicando:
- O que a pessoa colocar dentro do ovo de Páscoa nasce. Nasce amizade, nasce carinho, nasce esperança, nasce felicidade... Dona Coelha e sua imensa família continuavam cantando felizes quando eu saí de lá carregada de ovos de Páscoa.
E sabe o que aconteceu quando cheguei em casa? Não sabe? Peguei os meus cartões de Páscoa para mandar junto com os ovos para os meus amigos. E fui escrevendo tudo o que sentia que estava nascendo no meu coração para cada um deles. Nasceu a esperança de um futuro lindo para Beto, o desejo de uma vida cheia de paz para Lili... Pendurei os cartões nos ovos de Páscoa e me pareceu que cada ovo brilhava, cheio de vida!



Conto : O Leão e o ratinho



Cartaz dos ajudantes do dia


Trabalhando com as vogais:Tapete das vogais



No tapete das vogais tem as almofadinhas com desenhos iniciados  com  as vogais A E I O U   e com velcro atrás para  prende-lás no tapete.  
Espalhar as almofadinhas  e identificar uma por uma as vogais e colocá-las abaixo da respectiva letra  ( por exemplo: a letra A  colocar a árvore, o avião, a aranha ...  na letra E   colocar  o elefante , a escova, a estrela.. na letra  I colocar  o índio, a igreja e a injeção, na letra O colocar o osso,o oito e  ovo e na  letra U colocar o urso, o um e a uva) . 

Trabalhando com o alfabeto




sábado, 25 de março de 2017

Bilboquê de coelho com garrafa pet

Resultado de imagem para bilboquê de  coelho de garrafa pet



Lembrancinha para dia das mães: caixa de costura




Luva de história do Conto A girafa sem sono

O que fazer para para pegar no sono, quando a insônia não quer ir embora? Leia e descubra o que aconteceu com a nossa amiga girafa.

Naquela noite, enquanto todos os animais da floresta já estavam dormindo há muito tempo, a girafa andava pra lá e pra cá e não conseguia pegar no sono.
- É falta de um bom travesseiro! - falou uma árvore que estava por perto. - Mas eu tenho um sob medida para você. É só encostar sua cabeça no meio destes dois galhos e você dormirá sossegada até o dia amanhecer.
-É verdade! Como é que eu não tinha pensado nisso! - disse a girafa e encostou a cabeça no meio dos dois galhos da árvore.
Mas logo em seguida pensou: - Eta travesseiro duro que eu arranjei! Nunca vou conseguir pegar no sono com um travesseiro tão duro como este.
- Que tal, então, você encostar a cabeça em alguma coisa mais fofa e macia, para dormir e ter os mais lindos sonhos da sua vida? - falou uma nuvem que estava de passagem.
- É verdade! Como é que eu não tinha pensado nisso! - disse a girafa e encostou a cabeça na nuvem. Mas logo em seguida pensou: - E se essa coisa fofa e macia derreter e virar chuva, onde vai parar minha cabeça? Nunca vou conseguir pegar no sono com um travesseiro tão mole como esse.
- Pois é! - falou a lua, que estava olhando a cena toda. - Comigo você dormirá tranquila e segura, e ainda posso embalar seu sono andando pelo céu até o nascer do sol.
- É verdade! Como é que eu não tinha pensado nisso! - disse a girafa e encostou a cabeça na lua. Mas logo em seguida pensou: - Nunca vou conseguir pegar no sono com um travesseiro tão torto como este. o que eu vou pegar é um belo torcicolo.
- Esqueça essa bobagem de travesseiro e conte as estrelas! - falaram todas as estrelas ao mesmo tempo. - Todo mundo sabe que esta é a forma mais segura e garantida de alguém pegar no sono.
- É verdade! Como eu não tinha pensado nisso! - disse a girafa e começou a contar as estrelas.
- Uma, duas, três, quatro, cinco, seis, sete, oito... Espera aí, por onde foi que comecei, por aquela ou por aquela outra? Vou ter que começar tudo de novo: uma, duas, três, quatro, cinco, seis, sete, oito... E a girafa ficou contando e se atrapalhando, começando tudo de novo e nada de pegar no sono.
Enquanto isso, o dia foi clareando e as estrelas quase sumindo. Então a girafa pensou: - Está na hora de descansar. Quando as estrelas voltarem vou ter muito trabalho pela frente.
E fechou os olhos e dormiu.
Col. Labirinto
Iacocca, Michele

Caixa contadora de histórias e sacola contadora de histórias



sábado, 18 de março de 2017

Sugestão para Conto: Luva O sapo egoísta









 Sugestão retidada do blog infantilgraciapc.blogspot.com.br

Luva da música Família



Família

Aqui vive alegre pessoal
Familia bem original
Um pai, uma mãe, uma irmã e
um irmão, nenê miudinho e gentil.
Tão forte é o papai polegar,
Tão meiga a mãezinha do lar
A irmã é maior
O irmão é menor

Nenê vamos já embalar.

quinta-feira, 9 de março de 2017

Sugestão: Dona Baratinha e o alfabeto

Dona Baratinha mesmo depois do casamento com o Senhor Ratão, não parou com sua mania de fazer faxina. E foi assim que numa manhã, pegou a sua vassoura e começou a arrumação. De repente,ela encontrou uma caixinha colorida e disse:
- O que será que tem nessa caixinha?
Dona baratinha abriu a caixinha. Sabe o que tinha dentro?
Vinte e seis letrinhas coloridas.
 Dona Baratinha foi para a janela e disse:
- Quem agora quer saber o segredo das letrinhas, venha logo aprender com a Dona Baratinha! Como nenhum bicho apareceu, Dona Baratinha ficou muito triste e guardou novamente as letrinhas na caixinha. Mas no dia seguinte...
No dia seguinte

Quando o dia clareou, Dona Baratinha acordou. E quando a janela abriu, sabe o que ela viu?Toda aquela criançada que estava interessada, no segredo das letrinhas,que estavam na caixinha.
E lá estavam. Além de outras crianças. Paula toda bonita,com seu vestido de chita.
Gustavo, Júlio e André coçando a sola do pé.Ana, Alice, Breno e Davi, todos comendo caqui. Então chegou Camila, trazendo a sua mochila.E,como acabei de dizer toda aquela criançada queria era mais conhecer aquelas letrinhas encantadas e o seu segredo saber...E você quer conhecer o segredo das letrinhas?

Sugestão: uma caixinha pequena ou fazer o  molde de caixa de papelão.
As crianças recortam e colocam  na caixinha  as letras do alfabeto.
Resultado de imagem para molde de caixinha de papel


Resultado de imagem para letra do alfabeto






sexta-feira, 3 de março de 2017

Sugestão de conto para Páscoa: A velhinha, a galinha e o coelho

A velhinha, a galinha e o coelho

Numa pequena aldeia, havia uma pequena casa. Nesta casa morava uma velhinha. Ela criava uma galinha e um coelho.

A galinha tinha seu ninho embaixo da escada e lá botava seus ovos. O coelho vivia solto pelo gramado que circundava a casa. A galinha cacarejava toda vez que botava um ovo, e a velhinha corria para recolher o ovo que a galinha botava e a alimentava com boa comida. 

A velhinha gostava muito da carijó, que tinha a crista vermelha, as patinhas amarelas e as penas coloridas. Gostava também do coelho, que tinha o lábio partido, as orelhas bem grandes e o pelo branco bem fofinho. Certo dia, a velhinha escuta a galinha cacarejando tão alto e tão feliz:

- Botei, botei, botei! 

Até o coelho assustou-se e ficou com as orelhas em pé. 

A velhinha desceu bem rápido os degraus da escada, abaixou-se e viu no ninho um ovo bem grande, com manchas multicoloridas. Era tão lindo que ela não cansou de admirá-lo. Com muito cuidado pegou-o e levou-o para a cozinha. Ficou pensando o que faria com ele. Não podia comê-lo, pois era muito bonito e também não podia deixá-lo como enfeite, pois poderia cair e quebrar-se. 

O coelho que estava ao seu lado, disse-lhe:

- E se der de presente para uma criança? A Páscoa está chegando e com certeza quem recebe-lo ficará muito feliz. 

- A ideia é boa, respondeu a velhinha, porém para qual criança? Eu conheço tantas. 

Ela pensou um pouco e exclamou:

-Já sei, vou juntar muitos ovos da galinha carijó e depois de pintá-los vou presentear todas as crianças. 

Saltitando e feliz, o coelho disse:

- Eu também vou ajudar a pintar. 

Assim dito, assim feito. A galinha carijó botou muitos ovos. A velhinha recolheu-os numa cesta de vime e junto com o coelho branquinho, pintou-os. Ficaram tão bonitos. Multicoloridos. Vermelhos, verdes, azuis, amarelos, roxos. Alguns listrados, outros com bolinhas e até com flores. 

No domingo de Páscoa, a velhinha os colocou numa bela cesta e o coelho branquinho distribuiu-os para todas as crianças da aldeia. 

(Conto Lituano de Nijole Jankute - Tradução livre de Olga Prokopowit)



Algumas sugestões do blog Meus estudos na Arte de ensinar:





 Atividades com moldes das mãos
Fazer a galinha e o coelho com molde das mãozinhas, realizando atividades ou montando um lindo painel...  algumas sugestões para fazer os personagens com molde das mãozinhas.


Atividades com carimbo das mãozinhas




Personagens da história com reciclagem





Sugestões de histórias para Páscoa

Resultado de imagem para historias sobre a pascoa para educação infantil

Resultado de imagem para historias sobre a pascoa para educação infantil

Resultado de imagem para historias sobre a pascoa para educação infantil

Resultado de imagem para historias sobre a pascoa para educação infantil






Sugestões para Páscoa - feitos com sucatas








Sugestões retiradas de

tiadanyeducacaoinfantil.blogspot.com.br

                                                              professorajuce.blogspot.com.br 

                                                              e outros  blogs educativos

 

Professora Geórgia Template by Ipietoon Cute Blog Design